abril 27, 2009

Ando pensando tanto neles... ;o)


Segundo a wikipédia: bolinho de chuva é uma especialidade típica tanto em Portugal como no Brasil. É feito de farinha de trigo, ovos, leite e fermento (algumas vezes com frutas picadas). Os bolinhos são fritos em óleo quente e polvilhados com canela açúcar. Devido à facilidade na sua confecção, os bolinhos de chuva são servidos regularmente no Brasil e, em Portugal, onde a massa apresenta paladar próximo ao da massa da Bola de Berlim (conhecida no Brasil como sonho), e é mais usado no Natal.
O bolinho de chuva tornou-se mais conhecido no Brasil graças ao programa de televisão Sítio do Picapau Amarelo, onde a cozinheira Tia Nastácia sempre fazia esses bolinhos para as crianças.

Diferentes nomes para um mesmo sabor
O bolinho nem sempre foi de chuva. Ele já foi denominado Quero Mais, Quero Quero, Desmamados, sendo associados por um bom tempo, inclusive, ao Carnaval arcaico, recebendo a alcunha de “Filó de Carnaval”. Mas houve também nomes como “Bolinhos de Negra“, por serem feitos pelas mãos de escravas, o que gerou descendentes: Bolinhos da Negra Ambrósia, Bolinhos da Negra Marcionila, etc.

Ingredientes
2 ovos
2 colheres de açúcar
1 xícara de chá de leite
Trigo para dar ponto
1 colher de sopa de fermento
Açúcar e canela

Preparo
Misture todos os ingredientes até ficar uma massa não muito mole, nem tão dura
Deixe aquecer uma panela com bastante óleo para que os bolinhos possam boiar
Quando estiver bem quente comece a colocar colheradas da massa e abaixe o fogo para que o bolinho não fique crú por dentro. Coloque os bolinhos sobre papel absorvente e depois passe-os no açúcar com canela.

5 comentários:

Nakano disse...

Ai, que delícia!

Leo|mascaro disse...

Putz!! Ando com vontade disso faz tempo, sabia??

Quando fizer, pode me chamar!! =D

Andresa disse...

eu queroooooooooooooo !

Tino Freitas disse...

Bufo!!! Deu até água na boca.

Bispo disse...

Issso é muita sacanagem...
deixando todo mundo com água na boca!

Quero uma porção deles, bem quentinhos e com café em xícara grande!