julho 13, 2008

O escafandro e a borboleta

Bauby e os filhos
O francês Jean-Dominique Bauby era editor da Revista Elle quando, em 8 de dezembro de 1995, sofreu um acidente vascular cerebral. Aos 43 anos descobriu que perdera a capacidade de se movimentar e de falar. O único movimento que conseguia realizar era piscar um dos olhos. Essa rara condição, conhecida como síndrome locked-in, deixa os movimentos do corpo inteiro paralisados, mas as faculdades mentais perfeitas.
F
oi nesse estado vegetativo que Bauby resolveu escrever um livro contando um pouco de sua história. Com ajuda de uma ortofonista que montou um quadro alfabético especialmente para ele (colocando as letras em ordem decrescente de uso na língua francesa), o paciente piscava a pálpebra esquerda indicando a letra desejada. Assim, ele "ditou" todo o livro, não apenas palavra por palavra, mas ainda letra por letra.

Bauby e sua assistente

Soube do livro através de Gabriel Perissé que o citou numa palestra, na época do lançamento. Comprei e devorei e por acaso outro dia o peguei para reler após tanto tempo. Em suas páginas o autor-paciente lembra fatos do passado e nos revela, usando ironia e humor, como as pequenas coisas do nosso dia-a-dia se transformam em verdadeiros monstros quando na condição desumana em que ele se encontrava. Não é uma leitura triste ou incômoda, mas nos faz repensar alguns aspectos de nossa vida.



Agora a história de Bauby chega as telonas e já deu a Julian Schnabel o troféu de melhor diretor no Festival de Cannes de 2007, um Globo de Ouro e uma indicação ao Oscar.


O autor faleceu pouco após o lançamento do livro, em 1997. Provavelmente jamais imaginou que um dia, seria personagem de sua própria história.

4 comentários:

Giuliano Quase disse...

esse filme está sendo muito falado

e eu ainda descobrindo o buster keaton e revendo alguns do godard.

um amigo escreveu:
http://poesiatavolaredonda.blogspot.com/

Leo|mascaro disse...

já foi ver??
pra mim é um dos melhores filmes do ano!!! maravilhoso!!

bjao!

Tino Freitas disse...

Assisti sozinho numa noite fria destas... um filme para guardar no coração. MARAVILHOSO. Preciso ler o livro!!! Obrigatório para os amantes da sétima arte.

Otávio disse...

q coincidência, estes dias me perguntaram deste filme, e foi num blog, eu não sabia nem o q era escafandrista, mto menos q era filme e boiei, ou melhor, mergulhei, até olhar no dicionário e agora voilá no seu blog me veio a revelação: thank you!